O que denominamos realidade é construído pela mente

        “O universo físico não existe independentemente do pensamento dos participantes. O que denominamos realidade é construído pela mente. O mundo não é o mesmo sem você. O universo físico não existe sem os nossos pensamentos sobre ele.

        Construímos a nós mesmos e construímos uns aos outros para além do tempo. A maneira como olhamos as coisas afeta aquilo que olhamos por vias muito sutis. Por vias muito sutis, a maneira como prestamos atenção em nos mesmos e nos outros muda-nos continuamente em algo novo. Aquilo que pensamos de nós mesmos e de cada uma das outras pessoas determina a maneira como aparecemos a ela e a nós mesmos. Se eu mudar meus pensamentos acerca de mim e de você, mudarei a mim e a você!

        A sequência temporal não tem significado, pois essas construções acontecem além do tempo. A razão pela qual as sequências temporais são desprovidas de significado é que esse procedimento de construção tem início antes mesmo que a matéria se materialize. As ondas quânticas podem mover-se, e realmente o fazem, muito, muito rapidamente. De fato, podem mover-se mais depressa que a luz” (Toben e Wolf, 2006).

O modelo de mecânica quântica do átomo

        Com a Física Clássica, os elétrons foram tratados como partículas que existiam em órbitas precisamente definidas. No início do século 20, surgiu a ideia de que partículas poderiam exibir um comportamento de onda. Os físicos passaram a acreditar que o comportamento dos elétrons dentro de átomos poderia ser explicado ao tratá-los como ondas de matéria. “Este modelo, que é a base do entendimento moderno do átomo, é conhecido como a mecânica quântica ou modelo ondulatório” (Khan Academy, 2017).

Luz é onda ou partícula?

        “Luz é uma entidade quântica que pode tanto se comportar como onda quanto como partícula” (Braz Junior, 2015). “O que significa dizer que um elétron se comporta como uma partícula e como uma onda? Ou que um elétron não existe numa localização específica, mas que está espalhado por todo o átomo?” (Khan Academy, 2017).

        “Podemos concluir que os fótons (partículas com massa em repouso nula constituída por um quantum de energia luminosa) se propagam como ondas, mas na sua interação com os elétrons, átomos e íons, comportam-se como partículas, transferindo momento e energia. Duas lições emergem quando se considera esta dualidade onda-partícula. A Física Clássica, que tão bem explica o movimento dos objetos macroscópicos, gerou em nós, significados bem distintos para a palavra ‘partícula’ e para a palavra ‘onda’.

 Partícula: objeto com massa e forma bem definida.

Onda: perturbação num meio material contínuo, de que são bons exemplos as ondas na superfície da água.

        A exploração do mundo dos átomos tem como pano de fundo esta dicotomia. Os átomos e os elétrons pertenciam claramente a classe das partículas e a luz emitida pelos átomos excitados ou pelos elétrons acelerados tinha nitidamente caráter ondulatório. Mas a descoberta do caráter corpuscular dos fótons e das propriedades ondulatórias dos elétrons pôs em causa essa dicotomia. Com relutância, mas inevitavelmente, foi preciso aceitar que a distinção entre onda e partícula não se aplica ao nível atômico” (Prass, 2017).

Mais rápido que a velocidade da luz?

        “Os físicos chamam o pensamento de ‘pré-matéria’! E a pré-matéria pode se mover através do tempo. Einstein (1879-1955) e seus seguidores mostraram que tudo o que move mais depressa que a luz pode ser observado em sequências temporais inversas. Dizem que uma onda quântica é uma onda de probabilidades que se move mais depressa que a luz e conecta nossas mentes com o mundo físico. As ondas quânticas estão em nossas mentes e também fora delas, no mundo, determinando a probabilidade da ocorrência dos fatos.

        Se as partículas de quaisquer objetos pudessem viajar mais depressa que a velocidade da luz, elas também poderiam romper a barreira de tempo. As partículas conseguem se comunicar ao longo de grandes distâncias porque, na verdade, elas não estão separadas. As partículas, no nível mais profundo da realidade, não são indivíduos, mas partes de um todo maior e mais fundamental. E, sendo bastante simplista, o que nos interessa agora não é embrenharmos em teorias da física quântica, mas tornar possível ao nosso raciocínio saber que estamos todos interligados e que nossa mente pode mover as energias do universo” (Farage, 2012).

Pode o pensamento influenciar a intensidade das ondas quânticas?

        O resultado de uma observação altera a função de onda de um sistema. Por exemplo, observe como você está respirando. O simples fato de você observar a sua respiração modifica o ritmo (função) da onda da sua respiração. “Além disso, a função de onda modificada é, em geral, imprevisível antes que a impressão obtida em decorrência da interação penetre em nossa consciência: é a entrada de uma impressão em nossa consciência que altera a função de onda, porque ela modifica nossa avaliação das probabilidades para diferentes impressões que esperamos receber.

        As condições e propriedades físico-químicas… não apenas criam a consciência; elas também influenciam mais profundamente as sensações” (Toben e Wolf, 2006). Inversamente, a consciência influencia as condições físico-químicas?

Psicologia de Rebanhos

“O rebanho é os meus pensamentos e os meus pensamentos são todos sensações” (Fernando Pessoa).

        “O pensamento pode modificar a intensidade das funções de onda quântica. Ora, a intensidade de uma onda quântica é uma medida da probabilidade de ocorrência de um evento. Quanto mais aguda for a percepção ou consciência do observador, maior será a probabilidade de o evento ocorrer. A consciência modifica a onda quântica e, desse modo, altera o mundo físico” (Toben e Wolf, 2006).

Referencias

BRAZ JÚNIOR, Dulcídio. Luz onda ou partícula? Blog Física na veia. Acesso em 25/10/2015. Disponível em

FARAGE, Carmem. Pensamento e ondas quânticas. Sobre o fim dos tempos. Publicado em 13 de agosto de 2012. Acesso em 10/10/2017. Disponível em

KHAN ACADEMY. O modelo de mecânica quântica do átomo. Acesso em 10/10/2017. Disponível em

PRÄSS, Alberto Ricardo. Objetos clássicos e quânticos: conceitos de onda e partícula e dualidade onda-partícula. Porto Alegre: Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Acesso em 10/10/2017. Disponível em

TOBEN, Bob; WOLF, Fred Alan. Espaço-tempo e além: rumo a uma explicação do inexplicável. São Paulo: Cultrix, 2006.