Reflexões quânticas e outras crenças

        Você acredita mesmo que viver e ouvir e falar notícias ruins irá fazer de você uma pessoa melhor? Você já ouviu falar sobre reflexões quânticas e outras crenças religiosas que idealizam uma vida melhor? Seja lá o que quer dizer esse melhor! Você gostaria de mudar a vida, as pessoas, o mundo? Que tal se você começasse mudando o seu jeito de viver e ouvir e falar e crer?

        Você acredita mesmo que incitando o ódio e a revolta e o desejo de justiça nas pessoas, você as tirara do comodismo e as levara para lutar pelos seus direitos, e, assim, elas estarão exercendo a cidadania? Você acredita que viver revoltado e com ódio evitara que as situações indesejadas se repitam na sua vida? Com certeza, o mundo independe da sua vontade, mas a sua transformação faz o mundo mudar.

O mundo ao seu redor é uma extensão de você

        O que você pensa e sente produz a realidade ao seu redor. Você é o único responsável pela sua vida. Mas você argumentara – a gente aprende pelo exemplo daqueles que nos rodeiam, o meio em que vivemos modela o nosso jeito de ser. Mas onde você entra nessa relação? A situação faz o ladrão? É nisso que você acredita? Que a sua vida está condicionada a atitude do outro?

        Você ainda vive numa cultura de resistência e reclamação. Quanto mais você resiste e reclama, mais você fortalece aquilo que combate. O seu cérebro não entende que você está querendo dizer não, pois, ao resistir, o seu padrão mental é correlato com aquilo que você combate. Lamento lhe informar, mas você se transforma naquilo que você nega! Quando você se revolta, se torna uma presa fácil da raiva, do ódio, da vitimização. O revoltado cria as condições para o velho mundo se manter. O rebelde cria as condições para um novo mundo surgir.

A culpa é uma parte de você que julga e condena

        A culpa aprisiona. Com os pés e mãos atados é mesmo impossível sair do lugar. Mas não se deixe seduzir pelo sentimento de vitimização. Agindo assim você estará dependendo que o mundo mude para você mudar.

Reflexoes quanticas e outras crenças

        Mas você não perde mesmo essa mania de querer controlar as coisas fora de você, não é mesmo? Você não se dá conta de que nem consegue controlar a sua própria respiração!? Mas vive desperdiçando energia sendo refém do mundo que o rodeia.

Você sabia que o seu cérebro não faz a menor diferença entre o que você imagina e o que você vive de verdade?

        O seu cérebro não pensa nem sente. Pois é, você sabia que essa entidade que você criou, chamada eu, é uma abstração? Pois, esse eu que você pensa que é, é apenas uma das infinitas possibilidades que você escolheu para se manifestar. Você já percebeu que seja lá qual for o seu estado agora, se é de dor, decepção, raiva, alegria, euforia ou incerteza, isso vai passar? Tudo é mesmo transitório. Você tem infinitas possibilidades de manifestar a sua realidade. O impossível é apenas uma possibilidade que não foi acessada ainda.

        Você tem um tempo reservado para você estar só consigo mesmo, todo dia? Uma vez por semana? Aos sábados? Uma vez por mês, ao ano? Você jamais reserva um tempo para estar só consigo mesmo? É … assim você vai dançar. Você vai dançar de acordo com a música que o mundo tocar.

        Quando você diz? “Eu não posso”, a vida diz: ok! Quando você diz “eu posso”, a vida diz: ok! A vida responde ao que você é! “A vida não dá nem empresta. Não se comove, nem se apieda. Tudo que faz é transferir e retribuir aquilo que nós lhe oferecemos“ (Albert Einstein (1879-1955)).

        Você já conversou com as suas células, hoje? Você conhece a si mesmo? É que a vida responde a quem você é e não a quem você pensa que é. E o que você é? Pergunte as suas células.

Psicologia de Rebanhos

“O rebanho é os meus pensamentos e os meus pensamentos são todos sensações” (Fernando Pessoa).

        Se você se queixa da sua vida, lembre-se que o ambiente que você vive hoje é um resultado de quem você foi no passado. O ambiente que você vivera no futuro será um resultado de quem você é hoje. Mas como você faz isso? Se você quer realizar algo no futuro, então cuide de viver esse algo agora. A vida responde ao que você é e não ao que você quer!

Referências

LIIMAA, Wallace. Reflexões quânticas para viver melhor. Acesso em 07 de janeiro de 2016. Disponível em 

Quem precisa de psicoterapia?

        Confessa que você se assusta quando houve a palavra… psicoterapia. Você tem a impressão de que está doente? Faz você pensar que o que você é, é uma doença? E, portanto, você precisa de uma cura para essa coisa que você é. Que é uma doença, claro. Isso lhe deixa maluco!? Isso deixa você ainda mais doente!?

        Há sempre um remédio, um procedimento ou uma cirurgia para um corte, uma intoxicação, uma fratura ou uma infecção, para eventos provocados por algo que vem de fora de você.

        Quanto a você, que precisa de psicoterapia, parece que o remédio está dentro de você. Que estranho. Não seria o mundo que precisa de remédio e não você? Por que você precisa ser curado e não o mundo? Ou será que, você não é você, mas algo que vem de fora de você?

quem-precisa-de-psicoterapia

        Você está conectado em rede ao ambiente – família, vizinhos, cidade, natureza, transito, praia, diversão, aldeia global – o que você experiencia, seja por estimulo interno ou externo, é único. Ninguém no mundo experiencia a vida como você. Isso faz da sua vida e da vida de todos, e de cada um, do planeta e do universo, uma responsabilidade exclusivamente sua.

Escolha um ou mais desses sentimentos:

. Sinto-me frequentemente triste e abatido;

. Sinto-me frequentemente ansioso;

. Sinto-me deprimido;

. Sinto-me confuso;

. Sinto-me infeliz;

. Sinto-me inferior, incapaz e impotente;

. Sinto-me descontrolado e perdido;

. Sinto-me frequentemente irritado;

. Sinto-me com dificuldade de estabelecer e manter relacionamentos;

. Sinto-me com medos;

. Sinto-me frequentemente cansado;

. Sinto-me frequentemente em pânico ou fóbico;

. Sinto-me inibido;

. Sinto-me estressado, fisicamente exausto;

. Sinto-me incompreendido;

. Sinto-me etc.

        Você é tomado por sentimentos que não consegue administrar com satisfação, a tal ponto de eles desestabilizarem o seu humor? Então, você não é um caso perdido. Talvez a psicoterapia possa lhe ajudar.

 

Psicologia de Rebanhos

O rebanho é os meus pensamentos

E os meus pensamentos são todos sensações.

(Fernando Pessoa)

Será que eu preciso de ajuda psicológica?

        Como você sabe que você precisa de ajuda psicológica? Você se sente culpado pelo que aconteceu. Você se desculpa dizendo que o jeito que você lida com as situações é assim mesmo! Você tem noção do quanto seus comportamentos prejudicam a sua vida.

        Você percebe que sua vida está limitada em algum aspecto pessoal, interpessoal, social ou financeiro. As coisas não andam. Você se sente limitado nas suas ações. Você não consegue mudar o seu jeito de ser.

        Então, uma ajuda psicológica pode fazer alguma coisa com você.

Uma ajuda psicológica pode colaborar:
  • Para ajudar você a suprir as suas necessidades;
  • Para ajudar você a expor os seus sentimentos e pensamentos sem julgar;
  • Para ajudar você a compreender que os pensamentos, sentimentos e comportamentos das outras pessoas são diferentes dos seus;
  • Para ajudar você a aprender novos comportamentos;
  • Para ajudar você.

        Você conquistara mudanças nas suas respostas emocionais e comportamentais proporcionadas pela ajuda psicológica. Você se sentira mais confiante. Você sentira aumento considerável na sua autoestima.

Você aprendera sobre si mesmo.

Nietszche

Mas como saber se você precisa mesmo de ajuda?

        Imagine que você caminha por uma das tantas calçadas esburacadas da sua cidade sem atentar para os seus buracos. Você pisa num desses buracos, se desestabiliza e cai no chão. Você pode se levantar sozinho. Você pode ficar caído. Você pode pedir ajuda para se levantar. Você aceita ajuda ou você não aceita e se levanta sozinho e segue o seu caminho.

        Você continua a sua caminhada sem atentar para os buracos na calçada. Guiado pelo seu anjo da guarda, você chegara ao seu destino sem mais nenhuma queda. Mas seu anjo também está desatento nesse momento e você queda de novo ao chão. Você pode ficar caído. Você pode se levantar sozinho. Você pode pedir ajuda. Você pode aceitar ajuda ou você não aceita ajuda e se levanta sozinho e vida que segue.

Você continua a sua caminhada, mais estressado a cada passo.

        Antes de terminar o quarteirão, você queda outra vez. Você então percebe que é a terceira vez que você cai. Você percebe que você caiu de novo e se pergunta o porquê. Você percebe que está sempre repetindo a mesma coisa. Você percebe.

        É assim que você sabe se precisa de ajuda para reconhecer as suas necessidades, se você precisa de ajuda para desenvolver recursos para alterar os padrões que lhe causam sofrimento.

        Mas você não procura ajuda. As pessoas que lhe cercam – sua família, seus amigos, os seus famosos preferidos e os seus personagens das telenovelas – lhe dizem que você precisa ter “força de vontade”, como elas. Você precisa ser “forte”, como elas. Você precisa ser.… como elas.

        É isso o que elas dizem para você, cheias de “boas” intenções. Mas, sabe, o que você precisa mesmo é ser como você é.

        Você não procura ajuda porque essas suas pessoas queridas lhe dizem: o psicólogo ira lhe dizer o que fazer. E você ainda pagará bem caro por isso. Elas lhes dizem que o psicólogo fara aquilo que elas fazem – dizer a você o que fazer. E elas não cobram quase nada por isso.

        Você recebera a ajuda do psicólogo clínico para reconhecer como você lida com a sua vida. E decidira, por si mesmo, o que fazer com esse novo conhecimento. Você é o único responsável pela sua vida.

O que é psicoterapia?

        A palavra psicoterapia é formada por duas outras palavras cujos significados contem alto grau de contaminação normativa.

        Psico, que vem de psique, de origem grega, adquiriu qualidades divinas ao ser entendido hegemonicamente como alma, embora os gregos antigos também a utilizassem para se referir ao sangue e à respiração.

        E terapia, também de origem grega, significava o tratamento de uma doença. Entre nós, está consagrada como o ato de curar. Podemos concluir então que psicoterapia é o ato de curar a alma de uma doença.

        Não é nenhum pouco espantoso, então, se temer a psicoterapia, já que é um “tratamento” para curar a sua alma de uma doença. Quer dizer, somente no início, porque no decorrer do processo terapêutico você pode descobrir que sofre de metástase psíquica.

        O que pode ser mais assustador do que você ser “tratado” de doente por ser o que você é?

Mas, afinal, para que serve a psicoterapia?

        Hoje se compreende que qualquer atividade que propicie bem-estar é terapêutico. Caminhar, jogar, cozinhar, correr ou falar dos outros. Espezinhar alguém, matar ou roubar, também é terapêutico para muitos. Então, terapêutico ainda tem a ver com cura?

        Atualmente, se diz terapêutico e não mais psicoterapêutico. Onde foi parar a psique, a alma? Ela se tornou prescindível? Quer dizer que você não precisa mais de uma alma? Que você não tem mais alma?De pernas pro ar

        Veja que apesar das qualidades divinas da alma, você a trata como um objeto, algo que “você” tem. Algo como uma família, um carro ou um sapato. Onde foi mesmo que você deixou a sua alma?

        Pois então, chega. “Eu vou pagar a conta do analista pra nunca mais ter que saber quem eu sou. Saber quem eu sou? ” (Cazuza, 1988). Você já não tem mesmo mais nenhuma alma para curar!

        A psicoterapia reúne um conjunto de técnicas especificas para facilitar a você a compreensão de si mesmo.

        De início, o simples compartilhar dos conflitos já ajuda a aliviar a pressão causadora do sofrimento. Durante o processo terapêutico, você passa a compreender como se formam os seus comportamentos. Desta maneira você pode perceber as situações por outros ângulos.

        O processo toma tempo, demanda esforço e comprometimento da sua parte. É um processo algumas vezes doloroso. Pode ser como tratar uma ferida.

        Mas afinal, o que é a Psicoterapia? A Psicoterapia consiste em sessões regulares de Psicologia Clínica.

        Ao longo das sessões de psicoterapia, você experiencia novas situações, emoções, outras facetas de si, novas formas de comportamento e se percebe que você consegue fazer coisas de forma diferente e satisfatórias para si.

        A psicoterapia nada mais é que um espaço para você dizer de si, para você ouvir a sua própria voz. É o espaço em que se torna possível você expressar a sua angústia – tão verdadeiramente sentida através daquele “aperto no peito” – e dar-lhe uma forma mais consciente de contornos firmes e concretos.

 

Psicologia de Rebanhos

O rebanho é os meus pensamentos

E os meus pensamentos são todos sensações.

(Fernando Pessoa)

 

        Na Psicologia de Rebanhos o foco está em apreender a lidar de forma diferente com as nossas sensações, que se codificam em emoções, e, posteriormente, em sentimentos, que alicerçam os nossos pensamentos.