Tensão dos músculos no momento de sua observação

        “O tônus é o estado de contração dos músculos”. O nosso “tônus neuromuscular poderia então ser definido como o estado de contração-tensão dos músculos no momento de sua observação”. O alongamento muscular provoca respostas prolongadas no nosso cérebro. A resposta do musculo as solicitações é adaptável as exigências do momento.

        O nosso aparelho locomotor é função de múltiplas articulações. O centro de gravidade do corpo está situado um pouco acima da metade da nossa altura, “mais ou menos no nível da terceira vertebra lombar”. Somos mais compridos do que largos. A nossa área de sustentação é bem menor que nossa área corporal total. “O risco de desequilíbrio é permanente”.

        Estamos constantemente em desequilíbrio. A instabilidade é o nosso equilíbrio. Um equilibro que controlamos. “O controle da postura e do equilíbrio é considerado como uma atividade complexa baseada nas interações de processos dinâmicos, sensoriais e motores. O objetivo principal do controle postural é o alinhamento ativo da cabeça e do tronco em relação a linha de gravidade”.

        Sofremos, intermitentemente, a ação da gravidade. Ficar em equilíbrio, mesmo sentado, exige um trabalho constante de nossa musculatura.

        Ainda bem que não vivemos somente por conta da nossa consciência. Se tivéssemos que viver conscientes de todos os nossos desequilíbrios, não passaríamos de um pendulo de relógio. “Os desequilíbrios podem chegar a consciência, mas os principais responsáveis pela gestão das informações relativas a postura e das respostas” ao nosso estado de equilíbrio “são subcorticais”.

        “A medula espinhal é o primeiro nível de controle do equilíbrio”. Após aprendermos a nos comportar contra a força gravitacional, passamos a opor-nos por reflexo (sem pensar) aos deslocamentos e restabelecemos “a estabilidade postural em face do menor desequilíbrio”.

A respiração

        “A inspiração marca a passagem a vida extrauterina. O motor fundamental disso é o diafragma, responsável pela respiração de pequena amplitude”. “A expiração, por sua vez, pode ser obtida pelo simples relaxamento dos (músculos) inspiratórios”. Os músculos inspiratórios “agem no sentido da gravidade. Sua função essencial é dinâmica”. Os músculos “inspiratórios são numerosos e de vocação preferencialmente estática”. Os músculos “expiratórios são pouco numerosos e dinâmicos”.

O desenvolvimento motor

        Grande parte da atividade do nosso sistema nervoso dedica-se ao controle da nossa postura. “O movimento se organiza em função das tarefas a cumprir. A coordenação é inseparável dos objetivos a atingir”.

        Os movimentos de um recém-nascido “vêm de reflexos primitivos sem implicação cortical”. Os reflexos primitivos são “progressivamente inibidos e controlados pelo sistema subcortical, para chegar a um controle gestual voluntario”. Esses reflexos primitivos “dão lugar aos reflexos posturais, controlados em grande parte pelo tronco cerebral”. Os reflexos posturais “são basicamente de controle do equilíbrio”.

        “O apoio do pé no solo marca uma etapa fundamental no plano sensitivo-reflexo e motor”. O recém-nascido recorre a uma função estática para passar da sua posição deitada para a posição estável de pé quando criança. Essa função estática está instalada “nos músculos do pescoço, da coluna vertebral, dos membros inferiores e dos adutores-rotadores internos da raiz dos membros”.

As cadeias de coordenação neuromuscular

        Quando adquirimos a postura bípede “definitiva, estável e econômica, joelhos em extensão e fixação da lordose lombar”, recorremos aos “músculos da estática numerosos e potentes” das nossas costas, responsáveis diretos pela nossa “luta contra a gravidade”.

        Essa postura bípede exige constante e intensa tonicidade dos músculos. O movimento da postura bípede inicia-se “no nível do masseter, dos músculos do pescoço e da nuca, para estender-se ao tronco, aos membros superiores e aos membros inferiores”. Essa atividade constante e intensa é responsável pela rigidez muscular que formamos ao longo da vida.

        “A atividade neuromuscular está na base de uma coordenação motora controlando duas funções, estática e dinâmica, decerto absolutamente complementares, mas de imperativos distintos”.

 

Psicologia de Rebanhos

O rebanho é os meus pensamentos

E os meus pensamentos são todos sensações.

(Fernando Pessoa)

 

        A nossa postura tem tudo a ver com a maneira como lidamos com o nosso equilíbrio-desequilíbrio. Sofremos, ininterruptamente, a ação da força da gravidade. Somos constantemente testados quanto a nossa forma de estar no mundo. Embora não tenhamos consciência das nossas posturas, as solicitações e respostas as atividades musculares chegam ao nosso cérebro e nele são organizadas.

Referencias

SOUCHARD, Philippe E. RPG, reeducação postural global: o método. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.